Problemas de audição podem comprometer desempenho escolar
03/07/2017
Medo na transiçao de carreira e como se livrar dele
07/07/2017

Auriculoterapia – O que é e quais os benefícios?

No antigo Egito, em 2.500 a.C., usavam o pavilhão auricular para fins terapêuticos. Em “O livro das Epidemias”, Hipócrates – o Pai da Medicina, relata que a punção nos vasos sanguíneos auriculares ajudariam no tratamento de processos inflamatórios. As correntes modernas seguem as teorias científicas, ou seja, afirmam que o efeito da auriculoterapia, ou estímulo reflexo-neural do pavilhão auricular, deve-se à proximidade deste do cérebro, que através de um reflexo cerebral produziria uma resposta curativa nos órgãos distantes.

Aurícula, significa, “lóbulo na ponta da orelha, pavilhão externo do ouvido” e terapia, quer dizer qualquer “tratamento que busca amenizar ou acabar com os efeitos de uma doença (física, psíquica, motora, etc)”. Sendo assim, auriculoterapia é um tratamento através da orelha.

O pavilhão auricular possui várias inervações provenientes dos nervos trigêmeo, facial, vago e occipital, de tais inervações, por onde passam os pontos de auriculoterapia, o estímulo sensibilizaria uma região do cérebro, que por sua vez, está ligado ao resto do corpo pelo sistema nervoso central e periférico. O método utiliza-se do estímulo provocado por um pequeno objeto esférico, no caso uma semente, ao invés de agulhas.

A auriculoterapia também tem sido utilizada para tratar: acne, alergias da pele, asma e bronquite, bursite, cefaléia, celulite, cervicalgia, ciática, conjuntivite, constipação, crise hipertensiva, depressão, dores de barriga, dente, garganta e ouvido, enxaqueca, esporão de calcâneo, fascite plantar, estresse, fibromialgia, furúnculo, gastrite, gripe, hemorróidas, hipertensão, hepatite, hipertiroidismo e hipotiroidismo, hipotensão arterial, impotência, ejaculação precoce, insônia, lombalgia, lombociatalgia, náusea, nevralgia dos trigêmeos, obesidade, paralisia facial, rinite, sequela AVC, síndromes das pernas inquietas e pânico, sinusite, tabagismo, tensão nervosa, torcicolo, TPM, traumatismo sem fratura, labirintite e etc…

A reflexologia auricular pode ser usada em quaisquer distúrbio, uma vez que é um complemento da Reflexoterapia Podal. Caso a pessoa esteja sob tratamento médico ou medicamentoso, deve continuar o acompanhamento e a retirada do medicamento deve ser realizada sob supervisão médica. Apesar dos excelentes resultados obtidos pela reflexologia auricular ou auriculoterapia, esta deve ser vista como coadjuvante. E também, como uma aliada para a homeostase (equilíbrio) do corpo, proporcionando qualidade de vida.

Marcos Alexandre Alves Mulatinho
Reflexoterapeuta

2 Comentários

  1. Aqui é a Lidiane Da Silva, eu gostei muito do seu artigo seu conteúdo vem me ajudando bastante, muito obrigada.

  2. Olá td bem? Amei seu post,seu conteúdo esta muito bom. Vou acompanhar o blog ,Sucesso 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *